Início >> Noticia >> Livro Solidário entregou mais de 10 mil exemplares em 2017
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Livro Solidário entregou mais de 10 mil exemplares em 2017

Quatro jovens lendo livros em uma biblioteca do livro solidário

Fonte: Agência Pará em 29/12/2017

O projeto de incentivo à leitura Livro Solidário, coordenado pela Imprensa Oficial do Estado (IOE) e Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), com apoio da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado (Secom), entregou neste ano de 2017, mais de 10 mil livros para escolas e bibliotecas comunitárias em Belém e interior do Estado.

Entre as instituições beneficiadas com as doações, destacam-se a Biblioteca Apoena, localizada no município de Augusto Corrêa; Comunidade Aldeia Nova Vista, de Santarém; Centro Comunitário Nova Marambaia, em Belém; Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), Movimento de Emaús, Escolas Estaduais Cônego Batista Campos e Mário Barbosa, em Belém; Escola Família Agrícola Professor Jean Hébette, em Marabá; Comunidade Quilombola de Abacatal e comunidade da Aldeia Arapiuns, em Santarém, entre outros.

Além das doações, o projeto participou de feiras promovidas pelo governo do Estado, como a Feira Pan-Amazônica do Livro, o Salão do Livro em Santarém, Feira Flor Pará e Feira Pará Negócios. “Essas participações reforçam o contato com outras secretarias e outro público, sendo positivas não apenas para a Imprensa Oficial do Estado, que coordena o Projeto Livro Solidário, como também para reforçar os projetos sociais e educacionais desenvolvidos pelas secretarias parceiras”, pontua a diretora de Documentação da IOE e coordenadora do Livro Solidário, Carmen Palheta. 

“O resultado dessas parcerias alcança o público de maneira mais especial, uma vez que cada órgão, nas suas devidas competências, executa ações de maneira integrada, o que favorece o alcance maior do projeto a públicos diversos”, complementa Palheta.

Sarau

A Imprensa Oficial do Estado realizou este ano mais um Sarau Literário, que ocorreu no período da XXI Feira Pan-Amazônica do Livro. O sarau é uma iniciativa que estimula a produção literária, artística e cultural dos alunos, tomando como base a vida e obra de um escritor brasileiro e/ou paraense convidado da Feira do Livro, promovida pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult).

Este ano participaram quatro instituições, incluindo associações assistenciais e de socioeducação, que apresentaram monólogo, dramatização, apresentação musical, contação de história, dança, declamação de poesia, exposição de desenhose pinturas, dentre outros. O Sarau Literário teve a participação dos escritores Alexandre Guarnieri, Márcio Vassalo e Bia Bedran e envolveu diretamente mais de dois mil alunos.

“O ano de 2017 foi bastante produtivo para o Livro Solidário. A Campanha ‘Leia. Mude sua história’ favoreceu o aumento das doações de livros na IOE e também percebemos mais interesse das comunidades em receberem doações de livros. A campanha produzida pela Secretaria de Comunicação motivou ainda mais a participação das pessoas e a ocorrência de campanhas internas de arrecadação de livros nas próprias secretarias do Governo”, ressaltou Carmen Palheta.

Desde 2015, o Livro Solidário vem atendendo comunidades localizadas em outros municípios do Estado. Em 2017 não foi diferente, a procura por esse apoio aumentou e foram cerca de 10 mil livros doados, auxiliando projetos pedagógicos e sociais de associações comunitárias e instituições de governo com projetos de incentivo à leitura, seja em comunidades da capital ou em outras regiões do estado.

“É importante registrar que os gestores das instituições estão conscientes que uma biblioteca ou sala de leitura deve ir além de um ambiente para a leitura, deve sobretudo, estimular a criatividade, a produção textual, artística e cultural. Quando o aluno é motivado com atividades pedagógicas a partir da leitura de um livro (fábulas, contos e etc), é possível perceber melhorias no rendimento escolar e interesse pelas atividades, o que contribui para o desenvolvimento social e pessoal desse aluno, motivando sua confiança e o interesse pelos assuntos escolares” pontua Palheta.

O reconhecimento do trabalho vem por meio da participação da sociedade civil, que contribui com doação de livros, favorecendo a continuidade do projeto, que tem em sua essência o voluntariado e a solidariedade, o que permite ao Livro Solidário levar conhecimento aos que mais precisam com as implantações de espaços de leitura e doação de livros. “É através desse elo e, pensando num futuro melhor, que o Livro Solidário vem caminhando com a ajuda de muitas mãos ao longo desses seis anos. Construir um futuro melhor é tarefa de todos, mas poucos são aqueles que têm a coragem de dar o primeiro passo”, acredita a coordenadora do Livro Solidário.

Por Ronaldo Quadros - Ascom IOE