Início >> Noticia >> Assinatura de termo garante criação de pólo de música em Abaetetuba
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Assinatura de termo garante criação de pólo de música em Abaetetuba

Agência Pará em 20/12/2017

Pesquisas apontam que estudar música ajuda a desenvolver o pensamento crítico e a disciplina. Além disso, melhora o desenvolvimento cognitivo, matemático e habilidades de leitura, autoestima, habilidades de raciocínio espacial e frequência escolar. Com esses propósitos, na manhã desta quarta-feira (20), foi assinado o termo de colaboração com a Associação Obras Sociais da Diocese de Abaetetuba para a criação de um pólo de música no município através do Projeto de Interiorização da Fundação Carlos Gomes (FCG). A ação foi organizada pelo Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), do Governo do Estado.

A assinatura ocorreu no auditório do Centro de Formação Laranjal, em Abaetetuba, e contou com participação e assinatura da primeira-dama Ana Jatene, da diretora geral do NAC, Daniele Khayat, do superintendente da Fundação Carlos Gomes (FCG), Paulo José Campos de Melo, e o Bispo Dom José Maria Chaves dos Reis, da Diocese de Abaetetuba. Após a assinatura foi feita a entrega de presentes, doados pelos Sinduscon, para crianças e jovens que participam de programas sociais da Diocese.

“Trazer esse pólo de música para Abaetetuba só foi possível graças a parceria entre o Governo e os cidadãos dessa cidade que nos pediram o projeto. Encontrei aqui pessoas que se sentem responsáveis pela inclusão, pela melhoria da sociedade, por amor a essas crianças e jovens que tem todo um futuro pela frente. Estou orgulhosa por fazer parte desse momento tão importante”, declarou Ana Jatene.

O pólo de música vai beneficiar 200 crianças e jovens, com idade a partir de sete anos, atendidos pela Paróquia de Abaetetuba. Em janeiro, serão divulgados os calendários de matrículas e abertura das vagas para as aulas que estão previstas para o início de fevereiro. Os ensaios acontecerão nas dependências da Paróquia Cristo Redentor.

Para o superintendente da FCG, Paulo José, a criação de um núcleo musical acadêmico vai trazer benefícios para toda população de Abaetetuba. “A nossa meta é fazer do pólo um novo conservatório musical do estado, seguindo a mesma qualidade padrão do Carlos Gomes. Esse projeto atende três áreas importantes: a integração social, a movimentação cultural e a educação”, ressalta.

O Projeto de Interiorização começou em 1991 com o objetivo de resgatar e manter viva a tradição das bandas de música do interior do estado. Em 1994, ele foi reestruturado, e adotaram-se estratégias de criação de escolas de música junto às bandas existentes, e nas localidades onde não existisse uma banda foram implantados núcleos de ensino musical tendo em vista a criação de novas bandas. O objetivo é propiciar ao público-alvo, crianças e adolescentes do interior, uma opção de ocupação do tempo ocioso, utilizando a música como processo educativo de socialização, de profissionalização e de descoberta de novos talentos.

“A música é uma forma linda de incluir a sociedade nos projetos que o governo pode oferecer. Investir na música é investir na alma das pessoas, na cidadania, é pensar no bem-estar da nossa cidade”, declara o Bispo Dom José Maria Chaves dos Reis.

O projeto foi premiado como finalista no programa “Gestão Pública e Cidadania” (1997) das Fundações Getulio Vargas e Ford, em São Paulo; e classificado pela ONU entre as 40 melhores práticas sociais do mundo no Programa HABITAT 1998, do Centro das Nações Unidas para Assentamentos Humanos para um Futuro mais Sustentável, comprovando a eficiência do Projeto, como fator de integração social através da educação musical.

Em 2017, o projeto de interiorização atendeu, através de convênios de cooperação técnica, 4.265 alunos em 20 municípios, 15 vilas e uma ilha. Realizou ainda atendimento sem convênio a 4.890 alunos, em mais 30 municípios do Estado, totalizando 9.155 alunos beneficiados.

“É importante deixar claro que esta ação é mais uma estratégia de Governo, que vem sendo desenvolvida na regionalização de um Pará sustentável. E nós, do Núcleo de Articulação e Cidadania, temos muito para cooperar com essa inclusão entre os vários setores como sociedade organizada e Governo. O pólo musical vem para potencializar a música atendendo crianças e jovens de Abaetetuba”, afirma a diretora geral do NAC, Daniele Khayat.

Colaboração: Jessica Almeida Ascom NAC

Por Erika Torres